Indivíduo – Língua – Sujeito

Indivíduo – Língua – Sujeito

ISBN: 9786587782157 AUTOR: Sebastião Elias Milani

Em “INDIVÍDUO – LÍNGUA – SUJEITO” o professor Sebastião Elias Milani reflete sobre como por meio da apropriação da língua o indivíduo passa a ser sujeito. O ser humano é um animal cuja capacidade psíquica o transforma em cidadão. Sua capacidade de memó...

R$ 39,90 R$ 35,91
QTD.:

Mais Informações

Sinopse

Em “INDIVÍDUO – LÍNGUA – SUJEITO” o professor Sebastião Elias Milani reflete sobre como por meio da apropriação da língua o indivíduo passa a ser sujeito. O ser humano é um animal cuja capacidade psíquica o transforma em cidadão. Sua capacidade de memória, diferentemente dos outros animais, faz com que armazene muita informação rapidamente, com isso passa a agir e reagir segundo as informações memorizadas, a partir do primeiro instante na vida social. O indivíduo-humano não se separa de sua língua, e todo o conteúdo de sua memória é aprendido ao entrar em contato com textos que o reproduzem para ele. A língua afasta o indivíduo-humano de sua natureza animal e faz dele um sujeito da sociedade.


Número de Páginas

112


Formato

14x21


Ano de Publicação

2020


Área

Linguística


Introdução

Conclusão

Capítulo 1: Sobre as sensações

1. Em Platão, a forma da sensação como o conhecimento no indivíduo

2. Étienne Bonnot de Condillac: das sensações nasce o sistema do homem

3. Para Herder o ser humano inventou a língua ao praticar a reflexão

Capítulo 2. Sobre a língua, o indivíduo e o discurso

1. Em Humboldt, o indivíduo pela língua torna-se também cidadão

2. Entre Humboldt e Saussure: Schleicher e Whitney

2.1. Em Schleicher, o estilo é individual e intencional

2.2. William Dwight Whitney conceituou língua e linguagem e homem e indivíduo

2.3. O conceito de indivíduo na linguística estadunidense

2.3.1. Em Edward Sapir, na sociedade o indivíduo adquire a fala

2.3.2. Em Leonard Bloomfield, individualidade e subjetividade são concomitantes

Capítulo 3. Sobre a língua, o sujeito e o texto

1. Em Ferdinand de Saussure, o indivíduo produz texto como sujeito-falante

2. Em Antoine Meillet, o sistema da língua é individual

3. Em Hjelmslev, o indivíduo torna-se sujeito falante, como em Saussure

4. Em Émile Benveniste, a sociedade e o indivíduo só são possíveis pela língua

Referências Gerais