Fascismos (?)

Fascismos (?)

Análises do integralismo lusitano e da ação integralista brasileira (1914-1937)

ISBN: 9788546217342 AUTOR: Felipe Azevedo Cazetta

Há a tendência de crer com facilidade que movimentos ditatoriais de direita entre os anos de 1920-1940 fossem, quase automaticamente, fascistas. E aqueles existentes no período dos fascismos, mas que tiveram suas bases e mantiveram coerência e fidelida...

R$ 61,90 R$ 55,71
QTD.:

Mais Informações

Sinopse

Há a tendência de crer com facilidade que movimentos ditatoriais de direita entre os anos de 1920-1940 fossem, quase automaticamente, fascistas. E aqueles existentes no período dos fascismos, mas que tiveram suas bases e mantiveram coerência e fidelidade a elas nos anos 1910, ou até mesmo nos finais do século XIX? E os movimentos conservadores, com repúdio a mobilização de massas, porém, firmados nas correntes de extrema-direita? Seriam todos fascistas? A proposta do presente livro é justamente trazer a complexidade das análises sobre o Integralismo Lusitano (existente oficialmente entre 1914 e 1932) e a Ação Integralista Brasileira (1932-1937), movimentos que obviamente mantiveram contato e sofreram influências dos fascismos, ênfase ao italiano. Todavia, o contato não é suficiente para inseri-los nos grupos de países chefiados por Itália e Alemanha de Mussolini e de Hitler. Por isso, é importante rastrear a composição teórica e ideológica do Integralismo Lusitano e da Ação Integralista Brasileira, observando contatos e rastreando diálogos com outras correntes de pensamento, para somente depois tirarmos conclusões sobre a natureza dos movimentos em questão.



Número de Páginas

400


Formato

16x23cm


Ano de Publicação

2019


Área

História


Apresentação

Introdução

PARTE I: O INTEGRALISMO LUSITANO, ORIGENS E DESDOBRAMENTOS: DA L’ACTION FRANÇAISE AO NACIONAL SINDICALISMO

Capítulo 1: Integralismo Lusitano: da mocidade coimbrã à doutrinação

Capítulo 2: A radicalização do conservadorismo: inclinação autoritária e Nacional Sindicalismo

PARTE II: ENTRE INTEGRALISMO LUSITANO E AÇÃO INTEGRALISTA BRASILEIRA – O QUE UNE E O QUE DISTINGUE

Capítulo 3: Laços entre Brasil e Portugal: revistas e movimentos políticos

Capítulo 4: Similaridade e divergências entre os Integralismos

PARTE III: AÇÃO INTEGRALISTA BRASILEIRA – CONSERVADORISMO DE EXTREMA-DIREITA1

Capítulo 5: Antecedentes

Capítulo 6: A formação e desenvolvimento da Ação Integralista Brasileira: ideologia e cultura política

Fontes e bibliografias