Entre Hefestos e Narcisos

Entre Hefestos e Narcisos

Transidentidades enquanto condição abjeta no "processo transexualizador" da Resolução n. 1.995/10 do Conselho Federal de Medicina

ISBN: 9788546219339 AUTOR: João Carlos da Cunha Moura

A obra “Entre Hefestos e Narcisos...” utiliza-se da Resolução n. 1.955/10 do Conselho Federal de Medicina para analisar em que medida o “processo transexualizador” funciona para manter um discurso, caracterizado como cishetero-normativismo, que nega às...

R$ 42,90 R$ 38,61
QTD.:

Mais Informações

Sinopse

A obra “Entre Hefestos e Narcisos...” utiliza-se da Resolução n. 1.955/10 do Conselho Federal de Medicina para analisar em que medida o “processo transexualizador” funciona para manter um discurso, caracterizado como cishetero-normativismo, que nega às orientações e sexualidades das pessoas que não se “encaixam em padrões normativos”. Há o debate sobre o reconhecimento do direito à diferença e, o exame de questões que envolvem sexo, gênero, sexualidade, performatividade e corporalidade, entendidas para além de suas concepções biológicas. Tal discussão é fomentada ainda pela releitura dos mitos gregos de Hefesto e Narciso.


Número de Páginas

144


Formato

14x21


Ano de Publicação

2019



1. A reivindicação do reconhecimento como um fator paradigmático para as transidentidades: uma análise a partir da teoria fraseana

1. A teoria fraseana: para além do embate entre redistribuição e reconhecimento

2. A reivindicação da diferença como um fator paradigmático para as transidentidades

3. O direito ao reconhecimento das transidentidades no ordenamento jurídico brasileiro

2. Em meandros heteronormativos quem é cis é rei? A invenção da transexualidade e a emergência

de um novo binarismo

1. “Esse é o nome do que eu sempre me senti”: uma análise do dispositivo da transexualidade sob a ótica da teoria butleriana

2. Entre deuses e heróis, privilégios e abjeções: a invenção do dispositivo da cisgeneridade

3. “Façamos o homem a nossa imagem e semelhança”: o “processo transexualizador” instituído pela Resolução

n. 1.955/10 do CFM enquanto instrumento de

(re)produção de corpos no cistema heteronormativo

1. O Projeto de Lei n. 5.002/13 e a despatologização das transidentidades: a tratativa brasileira e a Lei de Identidade de Gênero Argentina 

André Rodrigues França