Arranjos de Vida

Arranjos de Vida

Escravidão e Liberdade nos Tribunais de Mariana, Minas Gerais

ISBN: 9788546211739 AUTOR: Marileide Lázara Cassoli

O trabalho que ora se apresenta consiste em uma importante contribuição para todos os pesquisadores interessado no estudo dos embates envolvendo a abolição da escravatura durante a segunda metade do século XIX, bem como para aqueles voltados à compreen...

R$ 44,90 R$ 35,92
QTD.:

Mais Informações

Sinopse

O trabalho que ora se apresenta consiste em uma importante contribuição para todos os pesquisadores interessado no estudo dos embates envolvendo a abolição da escravatura durante a segunda metade do século XIX, bem como para aqueles voltados à compreensão da sociedade mineira do período, especialmente do termo da cidade de Mariana. De fato, a articulação de ambas as perspectivas permite que se avaliem aspectos do abolicionismo em uma região específica do Brasil, indo-se além das análises que privilegiam a capital do Império ou os grandes centros urbanos. Em Arranjos de vida: Escravidão e liberdade nos tribunais de Mariana, Minas Gerais, Marileide Lázara Cassoli retoma diversas questões levantadas pela historiografia com o intuito de avaliar de que modo elas apareciam e eram tratadas na área que circundava a sede do bispado marianense. Dentre tais questões emerge a tese de que, entre 1850 e 1871 – datas, respectivamente, do fim do tráfico atlântico de escravos no Brasil e da Lei do Ventre Livre –, foi sendo forjada a substituição da lógica paternalista pela atuação do Estado como instância efetiva na mediação das tensões escravistas. Nesse sentido, a constituição de uma legislação nova e específica, especialmente após a lei de 1871 e de sua regulamentação, teria sido decisiva na uniformização de procedimentos e no incentivo à ampliação do número de processos impetrados por escravos, agora considerados juridicamente como “libertandos”. (Marco Antonio Silveira – Professor Associ


Número de Páginas

216


Formato

14x21cm


Ano de Publicação

2018


Área

História


1. “Espera receber mercê”: estado, leis e escravidão na segunda metade do século XIX; e 2. Senhores, escravos e práticas jurídicas.