“A Gente Leva o Dinheiro

“A Gente Leva o Dinheiro

A Vida e a Lida de Camponeses Piauienses Após o Trabalho no Corte de Cana em Agroindústrias Brasileiras

ISBN: 9788546204977 AUTOR: Teodório Rogério Júnior

Este livro é um estudo sobre o trabalho temporário no corte de cana, o adoecimento e as políticas de proteção social. Analisa o caso dos camponeses do município de Elesbão Veloso, no Estado do Piauí, que devido às condições insuficientes de reprodução,...

R$ 45,90 R$ 41,31
QTD.:

Mais Informações

Sinopse

Este livro é um estudo sobre o trabalho temporário no corte de cana, o adoecimento e as políticas de proteção social. Analisa o caso dos camponeses do município de Elesbão Veloso, no Estado do Piauí, que devido às condições insuficientes de reprodução, precisam migrar para cortar cana nos Estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo. É uma pesquisa primorosa fundamentada na observação direta dos espaços dos trabalhadores e suas famílias e entrevistas com médicos, lideranças comunitárias e gestores públicos municipais. Utiliza amplo material empírico e teórico para demonstrar as consequências das condições degradantes de trabalho sobre a saúde dos trabalhadores nas usinas de cana de açúcar. Ao adoecerem, nem as usinas e nem o Estado fornece a assistência médica necessária, recaindo sobre os ombros da família os cuidados e amparo material e afetivo. O livro expressa uma contribuição relevante não só para os estudiosos do tema, mas, também, para órgãos de representação dos trabalhadores e gestores das políticas públicas. (Marilda A. Menezes, pós-doutora em Sociologia)


Número de Páginas

300


Formato

14x21cm


Ano de Publicação

2016


Área

Ciências Sociais


Capítulo 1: “Na terra da gente”: condições locais de reprodução social do campesinato elesbonense; Capítulo 2: Migração temporária para trabalho no corte de cana: processo social e estratégia de sobrevivência de famílias camponesas elesbonenses; Capítulo 3: Campesinato migrante, trabalho no corte de cana, adoecimento e morte: quais políticas de proteção social?