A Casca da Caneleira

home / A Casca da Caneleira

NOVO
10%
A Casca da Caneleira

POR UMA BOA DÚZIA DE “ESPERANÇAS”

9788546211500
CARLOS AUGUSTO DE MELO

Em A casca da caneleira encontramos uma narrativa escrita a muitas mãos no ano de 1866. A terceira edição que aqui se apresenta é o resultado de uma proposta de narrativa de autoria coletiva que pressupõe a existência de um grupo de intelectuais de fo...

Mais informações

R$ 42,90

R$ 38,61

QTD.:
COMPRAR

Consulte o prazo de entrega

    Mais Informações

    Sinopse:

    Em A casca da caneleira encontramos uma narrativa escrita a muitas mãos no ano de 1866. A terceira edição que aqui se apresenta é o resultado de uma proposta de narrativa de autoria coletiva que pressupõe a existência de um grupo de intelectuais de formação sólida e uniforme e de uma vida intelectual bastante ativa, que favorecesse a convivência e a associação em projetos comuns. A ação do romance, apesar das circunstâncias em que foi escrito, tem certa unidade; e isso é menos de admirar que uma certa unidade de estilo que se nota em todo ele. A obra inicialmente publicada com um caráter paródico no folhetim paraibano d’O Publicador, resultou na imitação jocosa de clichês românticos e fórmulas já desgastadas da narrativa seriada. Os autores do folhetim constituíam uma nova geração literária que se formara no Maranhão, o encontro não se tratava de acaso, mas de frutos de um meio intelectual consolidado que se desenvolveu atento à cultura europeia e à revelia do Rio de Janeiro, para onde se dirigiam os provincianos em busca de consagração literária. 

    Sumário:

    INTRODUÇÃO

    Um novo lugar da Casca da Caneleira na história da literatura brasileira

    A Casca da Caneleira (chase-chase): por uma boa decoração de “esperanças”

    Exórdio dispensável

    Capítulo I. (servindo de programa) - A luz

    Capítulo II. Mais luz

    Capítulo III. Histórias do Neves

    Capítulo IV. Bem que prega Frei Tomás…

    Capítulo V. Coisas do Arco da Velha

    Capítulo VI. Um coração de mulher

    Capítulo VII. Uma cena no alcazar

    Capítulo VIII. Tertius Gaudet ....

    Capítulo IX. Quase que se pegam ...

    Capítulo X. É tarde! ...

    Capítulo XI. Em cartas

    Capítulo XII. Caleidoscópio final (servindo de epílogo)

    Sobre os Autores de A Casca da Caneleira (1866)

    Excertos da seção “Terra à Terra” do Publicador (PB)

    Referências 

    Numero de paginas:

    168

    Formato:

    14x21

    Demais Autores:

    Antônio Henriques Leal

    Antônio Marques Rodrigues

    Caetano Cândido Cantanhede

    Francisco Gaudêncio Sabbas da Costa

    Francisco Sotero dos Reis

    Francisco Dias Carneiro

    Gentil Homem de Almeida Braga

    Joaquim Manuel de Sousa Andrade

    Joaquim Maria Serra Sobrinho

    Raimundo Augusto de Carvalho Filgueiras

    Trajano Galvão de Carvalho


    Ano de publicação:

    2019

    Área:

    Linguística


    produtos relacionados