A Cor e a Fúria

A Cor e a Fúria

Uma Análise do Discurso Racial dos Racionais MC’s

ISBN: 9788546209392 AUTOR: Maik Antunes Rodrigues

“Ao que parece, nenhuma outra voz de protesto dentre as já erguidas no interior dos movimentos brasileiros de luta antirracista, qualquer que seja sua fase histórica, expressou-se em termos tão espontaneamente diretos e precisos quanto convincentemente...

R$ 49,90 R$ 44,91
QTD.:

Mais Informações

Sinopse

“Ao que parece, nenhuma outra voz de protesto dentre as já erguidas no interior dos movimentos brasileiros de luta antirracista, qualquer que seja sua fase histórica, expressou-se em termos tão espontaneamente diretos e precisos quanto convincentemente fortes e mesmo chocantes como os das vozes que, da São Paulo de fins do século XX, fizeram-se ouvir, não dos megafones empunhados por, àquela altura, veteranos militantes da ‘causa negra’, mas, de microfones ‘dominados’ por jovens músicos que, autointitulando-se orgulhosamente como ‘pretos’, insurgiam-se de modo violento contra as ainda existentes – embora cada vez mais sutis – representações depreciativas sobre o ‘negro’ no Brasil” (trecho do livro). Este livro tem por objetivo analisar o discurso do grupo de rap paulistano Racionais MC’s, partindo, para tanto, daquilo que seria a essência deste mesmo discurso, isto é, seu aspecto racial – algo que se explicaria não somente pela crença do referido grupo numa ideia de raça como, acima de tudo, pelo compromisso específico que os autointitulados “quatro pretos mais perigosos do Brasil” assumiriam para com esta mesma ideia.


Número de Páginas

280


Formato

14x21cm


Ano de Publicação

2019


Área

Ciências Sociais / História


Capítulo 1: “Não Foi Sempre Dito Que Preto Não Tem Vez?”: um histórico do racismo ou sobre como recusar as diferenças


Capítulo 2: “Os Quatro Pretos Mais Perigosos do Brasil” ou “Como Nascem os Grandes Vilões da História”

Capítulo 3: “Efeito Colateral Que o Seu Sistema Fez”: das razões para os males que assolam a sociedade ou quando é preciso “prevenir para não remediar”

Capítulo 4: “Os Quatro Pretos Mais Perigosos do Brasil”?: das inconsistências de um “discurso revolucionário”.