A diplomacia entre as quedas

home / A diplomacia entre as quedas

NOVO
15%
A diplomacia entre as quedas
9788546214839
Luiz Eduardo Pinto Barros

Esta obra trata do impasse diplomático entre Brasil e Paraguai nos anos de 1960 que possibilitou discussões em torno do “expansionismo brasileiro” e do simbolismo no centenário da “Epopeia Nacional”, a Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), que é de g...

Mais informações

R$ 49,90

R$ 42,42

QTD.:
COMPRAR

Consulte o prazo de entrega

    Mais Informações

    Sinopse:

    Esta obra trata do impasse diplomático entre Brasil e Paraguai nos anos de 1960 que possibilitou discussões em torno do “expansionismo brasileiro” e do simbolismo no centenário da “Epopeia Nacional”, a Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), que é de grande significado para os paraguaios. No início da década de 1960, o Brasil desenvolvia estudos na região das Sete Quedas, no oeste do estado do Paraná na fronteira com o Paraguai, para aproveitar o potencial energético do Rio Paraná. Em 1962, a embaixada paraguaia no Brasil tomou conhecimento sobre o estudo e informou seu governo que imediatamente exigiu explicações do Estado brasileiro. Os paraguaios alegavam que a região ainda não estava demarcada, apesar dos tratados de fronteiras de 1872 e 1927 e, por isso tais estudos não poderiam ser realizados sem uma negociação. Entre 1962 e 1966, Brasil e Paraguai vivenciaram um impasse diplomático que abalou a relação quando ambos estavam em processo de aproximação. Em junho de 1966, foi assinada a Ata das Cataratas resolvendo a questão e iniciando as negociações para o aproveitamento hidroelétrico conjunto do Rio Paraná.

    Sumário:

    Introdução; Capítulo 1: A Geopolítica do Brasil nas relações com o Paraguai: o início das divergências sobre Sete Quedas; 1. A Geopolítica do Brasil; 2. As relações entre o Brasil e as demais nações da Bacia do Prata até o início da década de 1960; 3. A reaproximação entre Brasil e Paraguai desde a década de 1940; 4. O início do impasse sobre a região de Sete Quedas entre os governos de João Goulart e Alfredo Stroessner; Capítulo 2: A ocupação militar brasileira nas Sete Quedas: o auge do litígio fronteiriço entre Brasil e Paraguai; 1. A política externa de Castelo Branco: as relações com as nações da América do Sul; 2. As relações Brasil-Paraguai e o litígio fronteiriço; 3. A repercussão; Capítulo 3: O fim do “caso Sete Quedas”: o acordo diplomático em 1966 e o seu significado histórico; 1. As divergências paraguaio-argentinas e a aproximação Brasil-Paraguai no “caso Sete Quedas”; 2. A Ata das Cataratas: o acordo; 3. Os reflexos do acordo entre Brasil e Paraguai na história da Bacia do Prata; Considerações finais; Referências

    Numero de paginas:

    244

    Formato:

    14x21cm

    Ano de publicação:

    2019

    Área:

    Ciências Sociais